Mundo Violeta

Um Mundo Violeta de Pura Espiritualidade
 
InícioRegistrar-seConectar-se
Estatísticas
Temos 473 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de MarshaWag

Os nossos membros postaram um total de 2426 mensagens em 1888 assuntos
Últimos assuntos
» Medusa
Qui 26 Mar 2015, 22:56 por tifanysangrenta

» Livro: A ilusão de Lilith
Qua 11 Jun 2014, 11:34 por SECRET LOBA BRANCA

» A Lenda da Estatua.
Dom 08 Jun 2014, 19:52 por SECRET LOBA BRANCA

» As 7 Profecias Maias
Sex 30 Maio 2014, 05:31 por † Maurício †

» História Do Slender Man
Sex 10 Jan 2014, 18:28 por † Maurício †

» Vampiros
Dom 05 Jan 2014, 19:54 por † Maurício †

» História Da Casa Do Filme The Amityville Horror
Qua 11 Dez 2013, 04:02 por † Maurício †

» Cuidado Com As Maças
Qua 11 Dez 2013, 03:54 por † Maurício †

» Sobre Wicca - Entrevista de Gilberto de Lascariz
Qui 05 Dez 2013, 19:21 por † Maurício †

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 1036 em Qui 18 Set 2014, 16:25
Parceiros

Compartilhe | 
 

 OS MISTÉRIOS DA CHÁCARA

Ir em baixo 
AutorMensagem
† Maurício †
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR
avatar

Mensagens : 1934
Pontos : 18160
Reputação : 11
Data de inscrição : 28/11/2011

MensagemAssunto: OS MISTÉRIOS DA CHÁCARA   Seg 21 Jan 2013, 23:56

O relato que vou lhes contar é contado pela minha mãe ainda viva, e que lhe ocorreu em meados da década de 70 em uma cidade do interior do Paraná.

Tinhamos uma chácara em uma cidade do interior do Paraná, a exatamente 350 quilômetros de Curitiba.
Era uma terra boa, um terreno de esquina um pouco retirado da cidade, porém não muito longe.
A dita chácara era localizada em uma descida para a cidade Alta, e do seu lado direito havia uma outra propriedade também muito grande, só que nessa propriedade existia um pasto para bois, e logo mais abaixo havia uma mata fechada e escura.
Voltando a chácara principal, existiam lá muitas árvores, e dentre elas um abacateiro, eu deduzo que o mesmo era centenário, haja vista que precisavam de quatro pessoas para abraçá-lo.
Os seus frutos eram de um doce extraordinário, tanto é que vinham pessoas de Curitiba apanhá-los na época da colheita.
A noite parecia que aquela terra era mais escura do que o normal, os bichos noturnos de vez em quando paravam com a sua sinfonia assim do nada, para algum tempo depois, voltarem a cantar e assim por diante.


Ouvíamos estórias um tanto descabidas, "na época éramos crianças de oito a dez anos", e jamais imaginávamos que aquilo iria nos acontecer.
Lembro-me como se fosse ontem, era um final de ano, e toda a família se reuniu naquela ocasião, para passarmos as férias na chácara, estávamos em quinze pessoas, e dessas quinze, seis eram crianças, inclusive este que subscreve. Na primeira noite, dormimos todos amontoados em uma sala grande que a casa possuía, até ai tudo normal.
No outro dia, começamos a dar ouvidos a estórias do povo que naquela cidade moravam, estórias de visagens, assombrações, lobisomens, fantasmas e uma tal "mulher de branco que aparecia no abacateiro".
Não sabíamos ao certo se eles queriam nos assustar como por ex; botar medo no pessoal da cidade, haja visto que no interior eles tem esse costume de assustar as pessoas com estórias assim, ou será que não?

Na noite do segundo dia, já estávamos todos habituados com o local e o lugar, porém, quanto mais a noite adentrava, alguma coisa por dentro de nós nos apertava, como se alguma coisa fosse acontecer com algum de nós. No terceiro dia, ouvimos uma estória que até poderia ter algum fundamento.
Na propriedade em frente a nossa chácara, havia aquela mata escura da qual lhes falei e em certa ocasião, alguém estava limpando parte daquele terreno e caiu em um despenhadeiro, e o seu corpo nunca mais foi localizado. Dizem os moradores da região, que em certas noites, ouvem os gritos lancinantes de alguém caindo de uma altura muito grande e depois pedir por socorro.

Não sei até hoje se foi fruto da nossa imaginação, "crianças tem a mente fértil", pois eram altas horas da noite, e todos os que estavam na chácara, inclusive os adultos, minha mãe e meu falecido pai, ouviram gritos de agonia e desespero e pedidos de socorro, vindos do lado da mata fechada e escura.
No outro dia comentando entre nós o ocorrido, todos foram unânimes em dizer que ouviram os gritos e os pedidos de socorro.
Cabe ao leitor deduzir se foi fruto de quinze mentes atuantes em um mesmo local, ou se realmente foi uma alma penada pedindo ajuda!

O outro fato a seguir também é relacionado com a chácara.
Um dos meus tios hoje já falecido, e que se chamava Mário, era uma espécie de feitor da chácara, pois morávamos em Curitiba, e ele naquela cidade, e cuidava da dita chácara.
Certa feita foi tratar de um porco, que lá existia, eram mais um menos cinco e trinta perto das seis horas da tarde, foi quando ele adentrou na mangueira, pois tinha que obrigatoriamente passar perto do abacateiro, foi quando ele se deu conta e estava lá a famosa mulher de branco, dando a volta no abacateiro, deu quatro voltas em redor da árvore, e desapareceu, como se quisesse ser vista.

Outro fato também relacionado ao abacateiro
Certa feita minha avó estava parada diante do abacateiro, em pleno dia, e a minha mãe era menina e perguntou a ela: Mãe o que a senhora está fazendo ai? Naquele tempo se você chamasse seu pai ou sua mãe de você, tú apanhava tanto que nunca mais iria esquecer, era uma falta de respeito muito grande, uma grande afronta.
Foi quando ela se virou e respondeu: "Porque você veio me interromper aqui menina, agora que a mulher de branco ia me dizer aonde estava a panela de dinheiro."
Essa narrativa é descrita pela minha mãe até os dias de hoje.

Em outras ocasiões ainda foram ouvidos, isso já dentro de casa, como se alguém derrubasse uma grande quantidade de moedas no chão, passos vindos do lado de fora, batidas na porta, luzes que se acendiam e apagavam sozinhas, enfim foram muitos os mistérios e enigmas existentes naquela chácara.
Na década de 90, foi vendida a nossa chácara, por um preço vil, sendo que o pé de abacateiro, foi cortado pelo atual proprietário, deixando somente a terra nua, e até os dias de hoje nada foi construído naquela terra, por que cargas d'água ninguém o sabe.
Persiste será o mistério naquela terra até hoje? Ou o atual proprietário desistiu de construir, se foi isso porquê? Fica a indagação para o leitor, que tire suas próprias conclusões.

Obrigado.

José Augusto do Carmo Tambosi
Curitiba - PR - Brasil
Citação :
Bom Medo Extremo
Citação :
Fonte: alemdaimaginacao.com
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mundovioleta.forumeiros.com
 
OS MISTÉRIOS DA CHÁCARA
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» O Grande mistério da Natureza - A Origem de tudo que existe.
» O mistério do arrebatamento de Enoque e Elias.
» SONS DO INFERNO-Gravações Reais ou Fraude ?
» O Enigma das Pirâmides
» UFPE - Química Orgânica

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Mundo Violeta  :: Contos | Mitologia | Lendas Urbanas | Relatos :: Relatos-
Ir para: