Mundo Violeta

Um Mundo Violeta de Pura Espiritualidade
 
InícioRegistrar-seConectar-se
Estatísticas
Temos 473 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de MarshaWag

Os nossos membros postaram um total de 2426 mensagens em 1888 assuntos
Últimos assuntos
» Medusa
Qui 26 Mar 2015, 22:56 por tifanysangrenta

» Livro: A ilusão de Lilith
Qua 11 Jun 2014, 11:34 por SECRET LOBA BRANCA

» A Lenda da Estatua.
Dom 08 Jun 2014, 19:52 por SECRET LOBA BRANCA

» As 7 Profecias Maias
Sex 30 Maio 2014, 05:31 por † Maurício †

» História Do Slender Man
Sex 10 Jan 2014, 18:28 por † Maurício †

» Vampiros
Dom 05 Jan 2014, 19:54 por † Maurício †

» História Da Casa Do Filme The Amityville Horror
Qua 11 Dez 2013, 04:02 por † Maurício †

» Cuidado Com As Maças
Qua 11 Dez 2013, 03:54 por † Maurício †

» Sobre Wicca - Entrevista de Gilberto de Lascariz
Qui 05 Dez 2013, 19:21 por † Maurício †

Quem está conectado
2 usuários online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 2 Visitantes

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 1036 em Qui 18 Set 2014, 16:25
Parceiros

Compartilhe | 
 

 Telefonema Maldito

Ir em baixo 
AutorMensagem
† Maurício †
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR
avatar

Mensagens : 1934
Pontos : 18160
Reputação : 11
Data de inscrição : 28/11/2011

MensagemAssunto: Telefonema Maldito   Ter 06 Dez 2011, 00:11

Elaine até seus 18 anos ganhava a vida com a prostituição, sua mãe
em ligava para ela e os demais familiares moravam no Amazonas.
Na ruas de São Paulo ela conseguiu dinheiro para comprar uma pequena casa em um bairro pobre.
Passaram-se alguns anos, Elaine já tinha 22 anos e sua mãe havia morrido de AIDS já que também se dedicava à vida nas ruas.
Elaine com muito custo deixou de ser prostituta e investiu na carreira de modelo fotográfica já que sua beleza era excepcional.

Ela fazia algumas fotos para pequenas publicidades e ficava em casa esperando algum convite para poder voltar a fotografar.
Alguns
meses se passaram, o dinheiro de Elaine estava acabando e ela já
pensava em voltar à sua vida antiga para poder conseguir algum dinheiro.
Pensou
por vários e vários dias, se sentia muito mal sabendo que novamente
poderia ser vítima dos "animais" que pagavam por uma noite. Elaine
passava e fazia horrores com esses homens e a lembrança a fazia chorar
muito.

Numa quinta feira o telefone toca, Elaine atende e homem
com voz firme e confiante dizia que tinha em suas mãos um currículo dela
e que suas fotos seriam ideais para serem usadas em uma propaganda na
cidade. Elaine se sente aliviada e muito feliz por poder voltar a
trabalhar honestamente.
O homem marca com ela em um estúdio fotográfico para que alguns testes fossem realizados.

Na
sexta feira Elaine vai para um pequeno estúdio no centro de São Paulo,
entra e logo um homem chamado Mário se apresenta como contratante e
fotógrafo.
Elaine esclarece algumas de suas dúvidas e começam as fotos.
No primeiro dia foram apenas alguns testes, mas depois de uma semana Elaine já estava contratada.

Com
o passar dos dias as fotos que Elaine faziam estavam cada vez mais
ousadas e uma outra moça de fisionomia oriental também estava fazendo
fotos no mesmo estúdio.

Elaine e Melissa a japonesa, estavam
ficando muito amigas e comentavam que o estilo das fotos estava ficando
incômodo e sexualmente sugestivo.
Até pensaram em parar, mas a
situação das duas era de pobreza e ambas moravam sozinhas e para
economizar vão morar juntas na casa de Elaine onde dividiam os gastos.

As
amigas partiram em mais um dia de trabalho. Quando chegam ao estúdio,
Mário diz que hoje elas farão umas fotos um pouco diferentes do normal.
Elas ficam um pouco surpresas, mas aceitam o desafio.
Mário diz para elas retornarem por volta das sete da noite que não iriam se arrepender.

No caminho para casa Melissa fala para Elaine que estaria com medo de retornar. Elaine diz que isso era insegurança.

Às
sete horas em ponto elas chegam ao estúdio e Mário já estava aguardando
no lado de fora dentro de seu carro, chama as moças e pede para que
elas entrem, pois as fotos seriam feitas em um outro local.

As amigas entram no carro com medo e partem para um local desconhecido.
No caminho Mário diz que as fotos seriam realizadas em local aberto, elas se assustam, mas aceitam o desafio.

Mário
pára o carro em lugar deserto, Melissa que estava no banco da frente se
sente incomodada. Ele pede para que elas desçam e fiquem só de biquíni.
Elaine se revolta e diz que não vai fazer nada, Mário vai pra cima dela e dá um golpe em sua nuca que a faz desmaiar.
Melissa
grita por socorro, mas Mário sendo bem mais forte a domina e coloca um
pano em sua boca, ela se desespera e começa a se mexer muito, mas estava
toda amarrada.

Mesmo com os gritos, Elaine continuava inconsciente.

Mário
parecia que estava possuído por alguma coisa e rasga toda a roupa de
Melissa, a pobre moça ficou nua e deitada no asfalto da rua deserta.
Sua
costa já estava sangrando de tanto ela esfregar no chão. Mário tira sua
roupa e começa a ter relações com Melissa, ela chorava muito e tentava
pedir por socorro.
Mário parecia incansável e não parava de molestar e
agredir Melissa, ela de tanta dor que sofria pelos golpes de estilete
que levava que acabou desmaiando também...

O maníaco pega as duas
garotas coloca no carro, veste sua roupa e vai para um barraco que
ficava em um grande terreno que mais se parecia com uma floresta.
Nesta cabana ele também abusa de Elaine, que ainda dormia.
Melissa
acorda e tenta se livrar das cordas, mas tudo foi inútil, Mário fica
irritado com a garota oriental e começa a dar golpes de faca em seu
corpo que já estava repleto de sangue. Mário nervoso segura bem forte a
cabeça de Melissa e com uma faca muito bem afiada corta seu pescoço
fora.
O corpo de Melissa foi jogado em um rio e a cabeça já limpa e sem sangue foi largada em uma calçada de um bairro nobre.

Mário retorna para o barraco e amarra os pés e as mão de Elaine de modo que ela ficasse totalmente indefesa.
Elaine
começa a acordar e pergunta por Melissa, Mário diz que ela teve o que
mereceu e que se Elaine se comportasse nada de ruim aconteceria com ela.
Ela gritava desesperada por ajuda, mas de nada adiantou.
Mario
passava uma faca em seu corpo, que já estava todo ensangüentado mas ele
não parava e parecia sentir prazer com a dor de suas vítimas.
Um
corte mais profundo na garganta de Elaine é feito, ela com tanta dor
consegue soltar uma das mão e tenta limpar o sangue do pescoço.
Elaine pensa em sua morte.
Mário
ficava com mais prazer quando podia sentir o sangue de sua vítima
escorrendo. Ele sentia-se realizando passando a língua no corpo
ensangüentado de Elaine que agonizava de tanta dor que estava sentindo.
Mário dá mais uma pancada na cabeça de Elaine e esta a faz desmaiar, ele estava completamente sujo com o sangue de sua vítima.
Elaine é desamarrada da cama onde estava e arrastada até o banheiro onde Mário continuava a estuprar a pobre moça.
Após
dar um golpe fatal em Elaine, Mário reúne alguns materiais que ele
utilizava para magia negra e em cima do cadáver começa a fazer algumas
"orações", conforme ia falando as palavras parecia sentir mais sede de
sangue e por um dos cortes no pescoço ele sugava o sangue de Elaine.
Após terminar este ritual ele pega o corpo e joga dentro da banheira que ainda estava com água.



Ali Elaine permaneceu por dois dias, seu corpo já entrava em estado de decomposição.

Mário voltou a sua rotina normal, mas atormentado com o que tinha feito começou a ter lembranças de seu passado:
"Quando
criança o padrasto de Mário o molestou e após esse terrível incidente
pegou o menino e o levou para uma seita satânica onde foi oferecido como
agradecimento por alguns bens que o seu padrasto tinha conseguido.
Mário foi ameaçado de morte se contasse alguma coisa para sua mãe.
Assim ele cresceu rodeado por espíritos malignos que também o possuía e dava o poder de realizar rituais destinados ao demônio"

Em
uma noite, depois de dois dias da morte de Elaine ele achou um livro em
sua casa que ensinava como se livrar dos demônios que estavam em seu
corpo.

Leu algumas páginas e viu que o que ele precisava era um
corpo que não estivesse morto há mais de cinco dias. Na mesma hora
pensou em Elaine que continuava na banheira.
O livro dizia que o
cadáver retornaria para a vida, mas com o demônio em seu corpo e a
pessoa que estivesse viva estaria livre do mal.

Se arrumou e partiu para a casa onde Elaine estava.

Quase
não consegui suportar o cheiro ruim que dominava o ambiente, mas foi em
frente retirou o corpo que já estava se desmanchando e levou até o
porão da casa.
Ascendeu algumas velas e fez exatamente o que o livro
dizia: "Para se livrar dos maus espíritos é necessário comer um pedaço
de pele do corpo para o qual se deseja transportar o espectro. Após
ingerir a carne deve-se continuar a ler está página e derramar sete
gotas de sangue sobre o cadáver."
E havia um alerta no final: "Após
realizar o ritual saia rapidamente e tranque o local, porque o cadáver
retornará à vida e estará possuído".

Mário muito calmo pega uma
faca para cortar a pele de Elaine, mas acaba se cortando e algumas gotas
de sangue caem sobre o cadáver.

Ele não percebe, mas já havia lido as páginas do livro.
Elaine pisca um dos olhos.

Mário
segue o ritual, e ao fim após derramar seu sangue e comer a carne,
Elaine começa a se mexer, ele sai rapidamente e tranca a porta do porão
onde eles estavam.

Um barulho estranho vinha de baixo e ele
curioso abre uma pequena fresta da porta do porão, quando Elaine falando
com uma voz grossa começa a gritar muito.
Ela consegue morder um
pedaço do dedo de Mário ele tenta se livrar dando golpes no rosto do que
restou de Elaine, mas um líquido preto escorria pelo nariz,
aparentava-se com sangue, mas era muito preto.

Mário se limpou e fez um curativo em seu dedo.
Elaine continuava olhando pela fresta do porão e gemia como se estivesse sendo torturada.



Mário entra no seu carro e corre para sua casa.
Dias após o incidente, Mário voltou a sentir um desejo incontrolável de telefonar para novas modelos.
Pensava que era apenas saudade do seu trabalho.

Depois de quase um ano, enterrava no quintal da mesma casa onde Elaine foi morta por duas vezes, a sua vigésima quinta vítima.
E ligou para Gisele, uma moça jovem que tentava ser modelo...
[/b]


Última edição por † Maurício † em Sex 25 Jan 2013, 23:33, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mundovioleta.forumeiros.com
Mercenario

avatar

Mensagens : 16
Pontos : 12696
Reputação : 0
Data de inscrição : 08/12/2011

MensagemAssunto: Re: Telefonema Maldito   Qui 08 Dez 2011, 22:19

Assustador isso Twisted Evil
Voltar ao Topo Ir em baixo
† Maurício †
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR
avatar

Mensagens : 1934
Pontos : 18160
Reputação : 11
Data de inscrição : 28/11/2011

MensagemAssunto: Re: Telefonema Maldito   Qua 18 Jan 2012, 19:59

Mercenario escreveu:
Assustador isso Twisted Evil
Que bom que gostou cheers
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mundovioleta.forumeiros.com
Filipee '-'
MEDIUM
MEDIUM
avatar

Mensagens : 76
Pontos : 12888
Reputação : 15
Data de inscrição : 01/12/2011
Idade : 22
Localização : Camaquã RS

MensagemAssunto: Re: Telefonema Maldito   Ter 24 Jan 2012, 00:14

Medoooooooo :S
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mundovioleta.forumeiros.com/
† Maurício †
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR
avatar

Mensagens : 1934
Pontos : 18160
Reputação : 11
Data de inscrição : 28/11/2011

MensagemAssunto: Re: Telefonema Maldito   Sex 25 Jan 2013, 23:30

Filipee '-' escreveu:
Medoooooooo :S
milk
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mundovioleta.forumeiros.com
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Telefonema Maldito   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Telefonema Maldito
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» triangulo maldito
» maldito calor!!!!!!!!!!!!!!!!
» espcex
» Ferido Jeremias clama e amaldiçoou o dia em que nasceu...
» O Talismã Maldito - António Carlos / Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Mundo Violeta  :: Contos | Mitologia | Lendas Urbanas | Relatos :: Contos-
Ir para: