Mundo Violeta

Um Mundo Violeta de Pura Espiritualidade
 
InícioRegistrar-seConectar-se
Estatísticas
Temos 473 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de MarshaWag

Os nossos membros postaram um total de 2426 mensagens em 1888 assuntos
Últimos assuntos
» Medusa
Qui 26 Mar 2015, 22:56 por tifanysangrenta

» Livro: A ilusão de Lilith
Qua 11 Jun 2014, 11:34 por SECRET LOBA BRANCA

» A Lenda da Estatua.
Dom 08 Jun 2014, 19:52 por SECRET LOBA BRANCA

» As 7 Profecias Maias
Sex 30 Maio 2014, 05:31 por † Maurício †

» História Do Slender Man
Sex 10 Jan 2014, 18:28 por † Maurício †

» Vampiros
Dom 05 Jan 2014, 19:54 por † Maurício †

» História Da Casa Do Filme The Amityville Horror
Qua 11 Dez 2013, 04:02 por † Maurício †

» Cuidado Com As Maças
Qua 11 Dez 2013, 03:54 por † Maurício †

» Sobre Wicca - Entrevista de Gilberto de Lascariz
Qui 05 Dez 2013, 19:21 por † Maurício †

Quem está conectado
Não há nenhum usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e nenhuma Visita :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 1036 em Qui 18 Set 2014, 16:25
Parceiros

Compartilhe | 
 

 O CASO DO FALSO FANTASMA

Ir em baixo 
AutorMensagem
ninfa.bebe.azul
MEDIUM
MEDIUM
avatar

Mensagens : 64
Pontos : 12626
Reputação : 6
Data de inscrição : 28/11/2011
Idade : 87
Localização : São Paulo

MensagemAssunto: O CASO DO FALSO FANTASMA   Ter 29 Nov 2011, 21:38

Corria no sertão, naquela pequena cidade esquecida do mundo, a conversa de que havia um fantasma, que adora aterrorizar as pobres mulheres da região, fazendo as piores agruras imagináveis, enquanto seus maridos tinham que ir a busca do tão importante sustento de seus filhos e família. O Fantasma aprontava a valer.
Porém naquela cidade havia uma mulher diferente das outras, seu marido havia lhe ensinado a atirar, manejar o machado e a foice com extrema perícia, o que muitas vezes havia lhe salvo a vida e de seus filhos.
Certa noite, ao chegar a casa sob a luz da lua, cansada de mais um dia de lida dura na roça, fez com humildade suas obrigações na casa, e logo após colocar seus filhos para dormir, foi em busca da tão sonhada noite de descanso.
Sentada na cama, lembrava-se do marido, pensava no trabalho do próximo dia e nas dificuldades que os pobres filhinhos passavam, enrolou um belo cigarro de palha, acendeu, deu umas baforadas e sentindo o cansaço de todos os dias, deitou-se na cama ainda com o cigarro em suas mãos...
Uma onda de sono a invadiu e de sua mão, cigarro caiu no chão, sentindo a queda do objeto, olhou de rabo de olho, imaginando que não precisava se preocupar, pois o cigarro apagaria de forma rápida.
Foi quando uma onda de terror e medo a invadiu, pois sob a luz fraca do lampião, uma mão peluda, saiu do nada, vindo debaixo da sua cama e apagou o seu cigarro.
Lembrando-se do mito do fantasma, mesmo apavorada, pensou no que fazer, sentou-se na cama novamente, e em voz alta disse que havia se esquecido de recolher a roupa do varal, e que não podia dormir sem que a trouxesse para dentro. Levantou-se foi até o quintal e procurou o primeiro objeto que lhe vale-se de arma, viu a foice, mas acreditou que naquele momento seria fácil lhe dominar quando tentasse cortar a mão do suposto fantasma.
Olhando em volta viu seu belo machado muito bem afiado, e arquitetou o plano, o corte da mão do fantasma.
Entrou novamente na casa, colocando em cima da cama a roupa e o machado muito bem escondido, e fez novamente todo o ritual para dormir, acendeu mais uma vez o cigarro, deu umas pitadas e fingindo que tinha adormecido deixou novamente o cigarro aceso cair de sua mão, novamente a mão foi saindo de baixo da cama para apagar o cigarro, porém ela já aguardava e com uma só machadada, cortou a mão do tal fantasma.
Ouviu-se um urro de dor, e aquele enorme vulto saiu em desesperada carreira, passado pela porta ainda sendo cortado pelo machado afiado da corajosa mulher.
No outro dia, a cidade estava em polvorosa, todos comentavam o acidente que seu grande amigo e compadre havia sofrido....
Ela preocupada foi em busca de informações ao qual não foi sua surpresa, seu compadre havia sido atacado por “ladrões” e haviam lhe decepado a mão, e cortado em vários lugares suas costas a poder de machadadas.
Nunca mais, se ouvi falar do fantasma na cidade.
E o segredo de seu compadre, morreu com ela.

FONTE: CONTOS E CAUSOS DE FAMÍLIA
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mundovioleta.forumeiros.com/forum
 
O CASO DO FALSO FANTASMA
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» falso arrebatamento?? como?
» O verdadeiro e o falso judeu.
» Verdadeiro ou falso - (justifique)
» A Verdade 11/09 - O Falso Ataque as Torres...
» verdadeiro ou falso

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Mundo Violeta  :: Contos | Mitologia | Lendas Urbanas | Relatos :: Contos-
Ir para: