Mundo Violeta

Um Mundo Violeta de Pura Espiritualidade
 
InícioRegistrar-seConectar-se
Estatísticas
Temos 473 usuários registrados
O último usuário registrado atende pelo nome de MarshaWag

Os nossos membros postaram um total de 2426 mensagens em 1888 assuntos
Últimos assuntos
» Medusa
Qui 26 Mar 2015, 22:56 por tifanysangrenta

» Livro: A ilusão de Lilith
Qua 11 Jun 2014, 11:34 por SECRET LOBA BRANCA

» A Lenda da Estatua.
Dom 08 Jun 2014, 19:52 por SECRET LOBA BRANCA

» As 7 Profecias Maias
Sex 30 Maio 2014, 05:31 por † Maurício †

» História Do Slender Man
Sex 10 Jan 2014, 18:28 por † Maurício †

» Vampiros
Dom 05 Jan 2014, 19:54 por † Maurício †

» História Da Casa Do Filme The Amityville Horror
Qua 11 Dez 2013, 04:02 por † Maurício †

» Cuidado Com As Maças
Qua 11 Dez 2013, 03:54 por † Maurício †

» Sobre Wicca - Entrevista de Gilberto de Lascariz
Qui 05 Dez 2013, 19:21 por † Maurício †

Quem está conectado
1 usuário online :: Nenhum usuário registrado, Nenhum Invisível e 1 Visitante :: 1 Motor de busca

Nenhum

O recorde de usuários online foi de 1036 em Qui 18 Set 2014, 16:25
Parceiros

Compartilhe | 
 

 TERROR NO CEMITÉRIO

Ir em baixo 
AutorMensagem
† Maurício †
ADMINISTRADOR
ADMINISTRADOR
avatar

Mensagens : 1934
Pontos : 17130
Reputação : 11
Data de inscrição : 28/11/2011

MensagemAssunto: TERROR NO CEMITÉRIO   Ter 22 Jan 2013, 00:10

"Cemitério! Um lugar sombrio e cheio de mistérios.
Muitas pessoas não podem nem olhar ou passar perto de um deles, outras trabalham e passam seus dias dentro desses mórbidos lugares. Mas mesmo os mais experientes podem ser surpreendidos por algo aterrorizante que alterem sua vida para sempre!"

O Relato a seguir é justamente sobre um desses casos!

================================================================================

Essa história foi contada por meu tio..

Minha falecida avó, morava no interior do Maranhão.
Sua casa fica praticamente em frente ao cemitério da cidadezinha, onde nunca se viu nada de estranho, até nesse dia...
Para que todos compreendam melhor a história, vou entrar mais a fundo em alguns detalhes...
A casa fica em frente a BR 135*, na saída da cidade, não tem portão na frente, só uma varanda e, a maior parte dos vizinhos são parentes.

(* BR-135 é uma rodovia que liga o meio norte do Brasil (Maranhão) e termina em Belo Horizonte (Minas Gerais), sendo concorrente com a BR-040 entre o entroncamento das duas rodovias em Paraopeba e Belo Horizonte, em Minas Gerais.)

Pois bem, estavam sentados na porta da minha avó algumas pessoas conversando tranquilamente, quando ouviu- se gritos vindos do cemitério. Era o coveiro, que além dos gritos saiu correndo desesperadamente para o meio da Br, atravessou a estrada e caiu na porta da minha avó.
Esta e os outros socorreram- lhe rapidamente com um copo de água e abanos.
Depois que ele acalmou-se, contou- lhes o ocorrido.

Disse que estava a limpar em volta das lápides com um facão, tirando todo o mato que estava por cobrir as sepulturas, quando sentiu vontade de fumar um cigarrinho de palha.
Sentou- se em cima de um dos túmulos e colocou a facão de lado, fez o cigarro, fumou, descansou um pouquinho e quando procurou o facão com a mão, disse que o mesmo não estava mais ao seu lado, e quando ele virou- se viu um homem e uma mulher bem sujos e com as roupas bem velhas e rasgadas, quando ele reparou que seu facão estava na mão da dita cuja.

Olhou-a espantado e ela sorriu pra ele.
Ele disse que a boca dela estava podre, os dentes todos quebrados e o cheiro que exalava era muito forte.
Por isso ele havia gritado e saído correndo de dentro do cemitério.
Meu tio e outros homens resolveram voltar lá com o pobre coveiro que não queria de modo algum voltar ao local, mas necessitava buscar seus pertences...

Logo na entrada, tem uma tumulo daqueles que parece uma casinha, onde geralmente coloca- se mais de um membro da familia ( obs.: não lembro o nome do tipo de sepultura).
Meu tio conta que ela era todo fechadinha e que tinha duas janelinhas no espaçamento de um tijolo, e era todo revestida na cerâmica preta.
Quando o coveiro aproximou- se dela começou a gritar e quando ele armou- se para correr os homens agarraram ele e pediram para que ele se acalma- se e dissesse o que estava acontecendo.
Foiquando ele começou a gritar que a mulher que ele havia visto estava olhando para ele da janelinha da sepultura e estava sorrindo para ele.

O coveiro então perguntou se eles não estavam sentido um cheiro de podre.
Um deles olhou para dentro da janelinha e não viu absolutamente nada.
Eles pegaram as coisas do coveiro e saíram de lá apressadamente.
O pobre coveiro, depois de 12 anos de serviço, demitiu- se e passou alguns dias sem passar por lá.
Até que um mês depois, ao tenta atravessar a Br 135, um carro o atropelou e ele veio a falecer.

Será que tinha sido a morte tentando lhe avisar que sua hora estava próxima?
Isso não se sabe, mas até hoje essa história ainda é contada pelos moradores daquele região.

E aí? Você tem coragem de trabalhar de coveiro?

Samira Freitas - São Luis - Maranhão - Brasil
Citação :
Bom Medo Extremo
Citação :
Fonte: alemdaimaginacao.com
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mundovioleta.forumeiros.com
 
TERROR NO CEMITÉRIO
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Noruega, aliada do terror, recebe uma dose do próprio remédio
» VEJA O QUE O PASTOR FOI FAZER NO CEMITÉRIO??? IMPACTANTE
» Trailer 2012: O Fim do Protestantismo
» POC...ansiedade...medo...terror
» JORNAL DO FORUM CFSD 2010:NOTICIAS ATUALIZADAS DIARIAMENTE .

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Mundo Violeta  :: Contos | Mitologia | Lendas Urbanas | Relatos :: Relatos-
Ir para: